Ouça a Caraipe fm

Play
Pause

1 de março de 2024

Ouça a Caraipe fm

Play
Pause

ES diz que população está quase em ‘cárcere privado’ e pede mais tropas

Compartilhe:

Governo quer aumentar efetivo da Força Nacional e Exército no estado.
Pelo 5º dia, protestos de familiares de PMs impedem policiamento das ruas.

O governador em exercício do Espírito Santo, César Colnago, disse nesta quarta-feira (8) que pedirá mais homens da Força Nacional e do Exército para reforçar a segurança do estado. Desde segunda-feira (6), mil homens das Forças Armadas fazem policiamento na Grande Vitória. Duzentos integrantes da Força Nacional começaram a atuar nesta terça (7).
“Estamos tomando providências no sentido de aumentar o efetivo da Força Nacional, principalmente, que é policial, e das Forças Armadas, para que tenhamos segurança, nesse momento em que a sociedade se encontra sem condições de se deslocar, quase em ‘cárcere privado'”, afirmou.
Pelo 5º dia seguido, o estado vive uma onda de violência. Familiares de PMs pedem reajuste salarial e protestam impedindo a saída dos militares dos batalhões. O sindicato dos policiais já registrou 90 mortes violentas.
 
O secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia, afirmou que, desde que as Forças Armadas passaram a patrulhar as ruas, “as ocorrências despencaram”. Nenhum número oficial foi divulgado.
Garcia afirmou que todos os municípios da região metropolitana de Vitória estão atendidos pela Força Nacional. Agora, será reforçado o policiamento em cidades do interior, como Guarapari.
César Colnago disse que há pelo menos 500 policiais militares na rua, apesar da paralisação, e que vai fazer “tudo o que for preciso” para recolocar todo o efetivo na rua.
O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, criticou o movimento que impede o policiamento e disse que “o método adotado por algumas lideranças é um método que dá vergonha. É o método da chantagem”.
“O caminho é um caminho errado, é um caminho que rasga a Constituição do nosso país, é uma chantagem. Se nós, capixabas, não enfrentarmos isso de frente, vai ser, hoje, aqui e, amanhã, no resto do Brasil. Isso é a mesma coisa que sequestrar a liberdade da população capixaba e cobrar resgate. Nós precisamos de muita coesão e firmeza”, disse Hartung. “Não pode pagar resgate. Não se paga resgate nem pelo aspecto ético, nem descumprindo a Lei de Responsabilidade fiscal”.
 
Negociações
O governo diz que o reajuste pedido pelos PMs – reposição da inflação e ganho real de 10% – custaria R$ 500 milhões ao ano para o estado. Segundo Hartung, o estado enfrenta uma crise financeira e está “no limite” para dar reajuste salarial, dentro da Lei de Reajuste Fiscal.
Em 2016, o estado fechou as contas no azul, segundo dados do Relatório Resumido de Execução Orçamentária compilados pelo Tesouro Nacional. O resultado primário (a soma entre as despesas e as receitas) foi de R$ 316 milhões – ou seja, a “sobra” no orçamento no ano passado é inferior aos custos do aumento pedido pelos policiais. Mais de 60% da receita do estado – cerca de R$ 8,8 bilhões – foram gastos com pessoal e encargos sociais.
Colnago disse que, diferente de outros estados, “os servidores do Espírito Santo estão recebendo em dia”. “Nós não somos um governo populista, que promete as coisas e não tem como cumprir. Não vamos ser irresponsáveis.” Segundo ele, o governo só vai discutir reajuste quando tiver condições financeiras.
“Pedimos bom senso e razoabilidade, e não podemos colocar a população nessa situação”, afirmou o governador em exercício.
 
Sem acordo
A reunião entre mulheres de PMs, associações dos militares e deputados estaduais e a senadora Rose de Freitas (PMDB), que ocorreu nesta terça-feira (7) na Assembleia Legislativa do Espírito Santo, terminou sem acordo.
Esposa de policial, a manifestante Thamires da Silva disse que espera negociar com o governo. “Queremos antecipar o diálogo o quanto antes. Nossa pauta pede o reajuste de 43% referentes aos últimos três anos em que isso não aconteceu, além da anistia dos PMs, para que eles não sofram retaliações. Só após essas duas exigências serem aceitas, poderemos negociar a saída dos policiais.”
Os manifestantes esperam uma conversa com o governo nesta quarta, mas ela não foi confirmada pelo governo.
Possíveis punições a PMs
Questionado se os PMs parados serão exonerados, o governador em exercício afirmou que todos serão submetidos ao que diz a lei, “no momento certo”.
O secretário de Segurança disse que o ES está vivendo situações nunca vividas antes. Ele lembra que a PM não pode fazer greve. “Esse movimento tem envergonhado o Espírito Santo. Todas essas ocorrências, todas essas mortes, está na conta deles.”
 
Retorno do governador
No início da entrevista, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, falou sobre seu estado de saúde. Ele tratou um tumor na bexiga no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e voltou ao estado nesta terça-feira (7). Hartung afirmou que seu tratamento foi bem-sucedido e que voltará ao hospital em dois meses para acompanhamento.
A recomendação médica é que o governador volte ao trabalho na próxima semana, mas ele afirmou que, com alguma limitação, já está ajudando “desde ontem”.
Entenda a crise na segurança no ES
– Os PMs reivindicam aumento nos salários, pagamento de benefícios e adicionais e criticam as más condições de trabalho.
– Como os PMs não podem fazer greve, as famílias foram para a frente dos batalhões para impedir a saída das viaturas policiais.
– O bloqueio começou no sábado (4) e atinge a Grande Vitória e cidades como Linhares, Aracruz, Colatina, Cachoeiro de Itapemirim e Piúma.
– Desde então, o Espírito Santo registrou 90 mortes violentas, segundo o sindicato da Polícia Civil.
– Escolas, postos de saúde e parte do comércio estão fechados desde segunda-feira (6), quando ônibus também pararam de circular. Os coletivos voltaram a rodar na manhã desta terça (7), mas foram recolhidos novamente às 19h. Na quarta-feira (8), o Sindicato informou que não haverá circulação.
– 1.000 homens das Forças Armadas fazem policiamento na Grande Vitória desde segunda; 200 integrantes da Força Nacional começam a atuar nesta terça.
 

Compartilhe:

Leia mais

TRansporte irregular passageiro
Deam Porto Seguro
Time de futebol de Porto Seguro
Fumacê
Celulares recuperados
Motorista embriagado
Volta as aulas
Moto recuperada
Sisu
Atendimento indigena
Foragido preso
Governador em medeiros neto 1

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023 ©. Todos os direitos reservados

Rede Sul Bahia de Comunicação - 2023
© Todos os direitos reservados